Constelação Estrutural
Alex Possato, participando do programa Consciência Próspera

Alex Possato, participando do programa Consciência Próspera

Muitas pessoas estão com questões em relação à sua vida profissional e/ou financeira. Seja a questão da escolha da carreira certa, ou a vontade de mudar de área, iniciar um empreendimento, cessar perdas financeiras recorrentes, problemas com chefia, funcionários ou sócios. Talvez você esteja em busca da sua missão de vida, desejando colocar-se verdadeiramente a serviço das pessoas e sentir-se realizado com o que faz e com o que ganha.

A constelação ESTRUTURAL sistêmica é um método baseado na constelação familiar, mas que abrange mais do que as relações familiares. Trabalhamos recursos, dons, localizamos obstáculos, esclarecemos confusões em relação a caminhos. Assim como a constelação familiar, a constelação PROFISSIONAL instiga o seu lado perceptivo, intuitivo, energético e emocional, sendo uma ferramenta que acrescenta muito para que você possa tomar decisões com mais tranquilidade, assertividade e consciência. Percebo que ocorre também uma liberação energética que vai além da simples questão de tomada de decisões: ao permitir-se trabalhar com a constelação, caminhos novos surgem, algumas pessoas chegam, outros caminhos se mostram inadequados e pessoas se afastam.

Atendimento de constelação PROFISSIONAL sistêmica
Quando: terça a sexta-feira
Horário: das 14 às 19 horas
Valor: R$ 251,00
Local: Espaço Flor de Lis – Rua Agostinho Gomes, 2194 – Ipiranga – São Paulo (20 minutos do metrô Sacomã)
Agende sua consulta pelo email atendimento@alexpossato.com

Constelação Familiar Sistêmica conduzida por Alex Possato

Todos nós viemos com uma missão: amar ao nosso irmão, como a nós mesmos. Esta verdade nos foi deixada por diversas tradições espirituais, durante toda a nossa jornada evolutiva como ser humano. Mas como amar ao nosso irmão? A natureza é sábia, e nos proveu de… pai e mãe. E irmãos. Nossa família consanguínea. Que muitas vezes foi caótica. Outras vezes, mais ou menos normal, se é que existe normalidade… mas que não abasteceu suficientemente nosso coração de amor, carinho, afeto, proteção, acolhimento. Isso sem dizer os milhões de casos de abusos, maus tratos, violência física e moral.

Mas fato é: mesmo com tudo isso, você deseja amar profundamente. Você ama seu pai e sua mãe mais do que a si mesmo. Tanto isso é verdade, que inconscientemente, para ser visto e aceito por eles, você se torna igual a eles. Inconscientemente, você repete um padrão herdado dos pais, que por sua vez herdaram o padrão dos avós e assim por diante, padrão este baseado no sofrimento e na carência. Se seus pais estão identificados com o sofrimento, e sinto dizer que a maioria das pessoas estão, você repetirá situações para mostrar que você também sofre e é carente. Conforme o grau de identificação que você possui com este “peso” do passado, pela lei da atração e reciprocidade (aquilo que você vibra, através de pensamento, emoções e atitudes), acabará atraindo para si…

– maus relacionamentos;
– vícios;
– doenças;
– fracasso financeiro;
– desmotivação;
– agressões diversas;
– confusão mental;
– insegurança;
– falta de foco profissional;
– baixa autoestima;
– acidentes;
– falta de fé em si e na vida…

A lista das formas que temos para nos equipararmos ao lado “sombra” dos nossos pais e antepassados é infinita e, por mais contraditório que possa parecer, mostra a intensidade da nossa vontade de amar. No mesmo grau que queríamos ser acolhidos pelos nossos pais, queremos acolhê-los. Portanto, o caminho para a cura e libertação, que possibilita amarmos não somente a eles, mas principalmente a nós mesmos, já que estes pais e antepassados que tanto desejamos amar estão dentro de nós (não importa se os pais estejam vivos ou não), passa incondicionalmente pela autoinvestigação mental e emocional. E então, mudança de estratégias e de comportamento. É preciso destravar os programas que nos fazem identificar com o sofrimento que veio do sistema familiar, para que possamos amar. Amor é liberdade. O amor flui, sem esforço. Sem a necessidade de reconhecimento. No fundo, é isso que sua alma anseia. E a constelação familiar sistêmica é uma grande ferramenta para o início desse resgate.

alex possato constelações sistêmicas logo

Como funciona a constelação familiar sistêmica

A constelação familiar sistêmica, criada pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger, é uma terapia. Mas para mim, é muito mais que isso: é uma reconexão com a própria essência, que pode ser traduzido como um caminho espiritual. E conduzo o trabalho como se fosse um ritual, com toda a reverência necessária não somente pelo ser humano que está sendo atendido, como também por todos os antepassados envolvidos no trabalho.

Um pressuposto básico do meu trabalho é que tudo é amor, e todos os fatos que ocorrem na vida são formas que a natureza nos concede para relembrarmos dessa verdade. Somos amor, e a maior aspiração do nosso coração é amar: a nós, e a todos. É um bom caminho iniciar com a nossa família.

E por amor quero dizer a conexão com tudo o que é imperecível, permanente: a paz, a harmonia, a prosperidade. Assim, quando falo em amor pela família e pelos pais,estou falando de uma energia que se mostra, naturalmente, depois que conseguimos transpor os portais da dor e do sofrimento, das mágoas e da autopunição que, inconscientemente, estabelecemos na nossa vida, buscando amar e ser amado.

Primeiro passo para transpor a dor e o sofrimento familiar: olhar corajosa e verdadeiramente

Para transpor estes portais, é preciso olhar para eles. E para olhar, é necessáriocolocar a intenção de olhar. Ninguém poderá olhar por você, nem dissolver as dores. Lembre-se, querid@: o tamanho da dor e do medo é proporcionalmente igual à energia do amor que deseja fluir por você. Coragem! A constelação familiar proporciona um ambiente seguro, respeitoso e protegido para você olhar para estas dores, e se libertar. Mas é necessária a intenção firme: a psique humana possui um mecanismo de proteção contra qualquer tipo de dor (e dor emocional ou imaginária é interpretada pelo cérebro como dor, tão real quanto uma úlcera). A sua intenção conduz sua vida: quanto maior intenção de se curar e amar, pagando o preço para isso, mais próximo da sua verdadeira essência você estará. E isso pode acontecer no instante do agora. De acordo com os seus méritos. Pagar o preço significa estar pronto para se desapegar de padrões mentais, emocionais e comportamentais que o mantinha preso ao sofrimento. Resumindo: todas as suas atitudes baseadas em medo e carência tem a ver com a sua identificação com dores do passado: seja dos seus pais, família ou até de outras eras (se você acredita nisso). No aqui e agora, estas dores, efetivamente, não existem. No aqui e agora, você é amor. Todos são amor. Tudo é amor. Então, o que são estas dores e mágoas? São somente programas que continuam rodando no seu sistema interno, exigindo um carinho e reconhecimento que não tem sentido, pois é coisa do passado… e de quem você exige, não poderá receber. O verdadeiro amor que você deseja receber, que poderá transformar definitivamente a sua vida, está dentro de si, escondido por detrás dos seus medos, traumas e dores. Vamos lá, me dê suas mãos. Eu não posso tirar as suas dores, mas posso mostrar um caminho que me auxiliou profundamente a acalmar as minhas inúmeras feridas internas. E por isso posso dizer: é possível. Tive que pagar o preço. Mas está valendo muito a pena. A jornada não terminou, mas agora posso dizer que estou andando de olhos abertos… e não sendo levado…

Constelação Familiar Sistêmica em grupo

Bert Hellinger, o criador da constelação familiar sistêmica, resgatou uma das tradições mais antigas da humanidade, no que se refere à terapia: a roda de cura. Quando você se junta a um grupo de constelação familiar sistêmica, significa que você, sua psique, todas as informações inconscientes que você traz de si e do seu sistema familiar se juntam com as informações dos outros participantes, formando um novo sistema, que trará exatamente aquilo que você necessita saber, vivenciar, experimentar, para que a cura possa ocorrer. De acordo com a permissão que você dê para que o trabalho ocorra consigo, o que quer dizer, de acordo com a sua capacidade no momento do trabalho de manter uma ligeira distância dos próprios pensamentos, crenças e emoções, colocando a intenção para que o seu sistema seja reprogramado, maior será o benefício.

Mais uma vez quero frisar que, em essência, você é amor. Todas as emoções conflitos que você possa ter hoje, são ecos do passados, que podem, sim, estar afetando sua vida, trazendo-lhe sintomas, emocionais, físicos ou fazendo com que situações desconfortáveis se repitam. Trabalho a partir deste ponto de vista: a sua essência é pura, perfeita e amorosa, e utilizo música, meditação, textos, para relembrar-nos (já que também preciso ser relembrado o tempo todo) dessa verdade. E a cura pode ocorrer, quanto mais nos permitimos nos conectar com essa essência amorosa, primeiramente, em intenção.

Dinâmica da Constelação Familiar Sistêmica em grupo

Em uma data previamente escolhida, reunimos um grupo. Todas as pessoas que participam do grupo, fazem parte do trabalho terapêutico. Não há como dizer: vim só participar, ou, vim só conhecer. Na vida, não existe em hipóteses nenhuma acaso, e estamos exatamente no lugar exato que devemos estar, com as pessoas que temos algo a compartilhar. O grande trabalho é tornarmo-nos o suficientemente vazio para permitir que as coisas ocorram como devem ocorrer e as pessoas sejam como elas são…

Dentro das pessoas que vêm trabalhar numa constelação familiar, existe uma diferenciação:

a)      Participantes sem questão: são pessoas que, ou não tem uma questão específica que desejam trabalhar em constelação sistêmica, ou não se sentem prontas para colocá-las num grupo. Mas de qualquer forma, acabam se trabalhando, pois crenças, emoções e atitudes serão afetadas pelo trabalho sistêmico;

b)      Participantes com questão: são pessoas que possuem uma questão que desejam trabalhar formulada, ou que estão vivenciando um grande incômodo, e estão dispostas a se abrir para aquilo que possa surgir num trabalho sistêmico, dispostos a ver aquilo que precisa ser visto, abrindo espaço para a cura.

O que é uma questão? Questão, como dizemos em constelação familiar sistêmica, é algo que incomoda muito, temos clara consciência de que algo em nós mesmos mantém o padrão do incômodo vivo, e assumimos a responsabilidade por permitir que este padrão se dissolva, aprendendo aquilo que devemos aprender como o “problema”. Não existem “questões” mais complicadas ou menos complicadas, mais graves ou menos graves. Cada problema que nos afeta e verdadeiramente incomoda a nós é importante, pois aponta para algo, alguém ou um fato que não está sendo visto em nosso sistema interno. Logo, aponto para uma enorme oportunidade de abrirmos o coração para acolher esta exclusão e… amar. Não podemos forçar a cura, muito menos forçar o amor. Mas podemos nos abrir para que ela ocorra, permitindo-nos humildemente aprender aquilo que deve ser aprendido. Seja mental, emocional ou fisicamente. Por isso, mesmo que você não tenha claro o que deseja trabalhar, mas tem esta firme intenção de se abrir para o amor, e sente que tem algo lhe bloqueando – seja pensamentos repetitivos, medos, problemas físicos, perda de energia ou dificuldade de ação, você tem uma questão.

Como, efetivamente, a constelação sistêmica vai atuar em si?

Quando você nasce, o seu sistema (mente e corpo) não estão desenvolvidos. Muitas das características emocionais, de personalidade e comportamento que você irá manifestar na sua vida, você recebe desde a gestação, passando pela infância e adolescência. A grande maioria das informações e situações vividas por você ficam inconscientes, você não tem noção. O cérebro humano faz este processo de manter inconsciente fatos, vivências e informações como forma de proteção ao seu próprio organismo: consome menos energia do seu corpo, possibilitando que você se dedique as tarefas básicas de autoproteção, procriação e sobrevivência. Na gestação, você recebe também as informações e emoções do sistema familiar do seu pai e da sua mãe. Muitas experiências vividas pelos seus pais e antepassados estão registradas no seu sistema. Em grande parte, você é o que seu pai e sua mãe são. Estas informações ficam latentes em si, e em algum momento elas podem provocar algo na sua vida, principalmente se existe um “gatilho”. Nos casos de emoções, fatos e dores do passado, situações que não foram devidamente aceitas pelos pais ou até antepassados, o sistema irá disparar estes programas, para que sejam vistos e a energia possa, naturalmente, se esvair. Você também é o que seus antepassados foram. Você é o que foi vivido, nas terras dos seus ancestrais. Através daquilo que está afetando desconfortavelmente a sua vida – a questão que iremos trabalhar na constelação, você pode acessar o que não foi visto, reconhecido e incluído em seu sistema. Quando você se abre para amar o seu próprio sintoma e dificuldade (e tudo o que há por detrás deles), está se abrindo para que o problema vire solução. A dificuldade vire recurso. O sofrimento vire compaixão. A tristeza vire profundo entendimento, e daí, gratidão.

A constelação atua em seu sistema emocional, trazendo emaranhamentos sistêmicos escondidos. Atua também em suas crenças, já que seu juízo de valores – aquilo que você julga certo ou errado, não cabe no seu próprio sistema familiar. Basta imaginar que, dentro do seu sistema, existiram pessoas boas e más, ladrões e honestos, santos e pecadores, trabalhadores e ociosos, saudáveis e doentes, heróis e fracassados, nascimentos e mortes, justos e injustos, ricos e miseráveis. Todos eles fazem parte, pois estão dentro de você. Pode ser que a exclusão que suas ideias fixas promovem contra determinado tipo de pessoa ou atitude seja somente uma forma que o universo tem para apontar onde é necessário emanar amor. Perceba: onde existe um “não” dentro de si? Para que tipo de comportamento ou pessoa?

A partir das mudanças emocionais e de crenças (é importante dizer que muitas das mudanças necessitam um tempo para que a mente racional compreenda… ou talvez nem seja necessário isso, já que a transformação ocorre e às vezes, você esquece da necessidade de entender), você irá mudar estratégias e comportamento. Quando não estiver preso às dores do passado, está naturalmente deixando fluir os dons, habilidades e talentos, que também existem em seu sistema familiar. De acordo com a sua própria busca e compreensão de espiritualidade, poderá entender que a sua verdadeira herança é divina – seja lá o conceito que você faça de Deus. E conseguirá viver em paz, mesmo que o mundo possa parecer conturbado. Aí, você poderá verdadeiramente fazer a sua parte: amar aos outros como a si mesmo.

alex possato constelações sistêmicas logo

Breve histórico do facilitador

Iniciei, involuntariamente, diga-se de passagem, meu trabalho com constelação familiar sistêmica como assistente da terapeuta alemã Theresia Maria Spyra. Daí foi uma grande lição entender que “um sistema maior” conduz a nossa vida. Justamente eu, egóico e orgulhoso, ser assistente da, na época, minha esposa? Bem, a partir disso, pude trabalhar bastante a questão em relação ao orgulho, principalmente em relação ao feminino, que estava muito mal resolvido dentro de mim. Participei de cinco treinamentos de formação, centenas de horas de trabalho e outras centenas de horas de constelações familiares em grupo e dinâmicas sistêmicas. Fiz muitas constelações minhas, trabalhando questões e dores profundas, e as cascas foram caindo, uma a uma. Uma das cascas mais profundas e difíceis de digerir foi o fim do casamento e desestruturação da família. Justamente o que havia ocorrido na minha infância e eu queria fugir a todo custo. Mas o sistema mostrou-me que havia uma seta, apontando para onde meu foco amoroso deveria se direcionar. O amor que eu poderia acessar, já que a dor emocional também era intensa. E para mim, era fundamental resgatar o amor pelos meus pais e pela família, principalmente por ela ter sido caótica e desconstruída. Assim é o meu sistema familiar. Anos e anos de cursos e trabalhos sistêmicos, além do incentivo, atrito, horas boas e outras nem tanto, idas e vindas que a minha relação pessoal /profissional provocou , fizeram com que o trabalho terapêutico se tornasse natural para mim. Sou totalmente grato ao que aprendi com a mestra de constelação, Theresia Spyra: simplesmente tudo – postura de terapeuta, percepção intuitiva, distanciamento, estado de presença, concentração, enfim, domínio de mim mesmo para permitir que a constelação sistêmica possa fluir. Foi dessa forma que ela aprendeu da sua mestra Mimansa Ericka Farn e assim Mimansa aprendeu do próprio Bert Hellinger. Hoje utilizo outros elementos que também tem a ver com a minha jornada de autoconhecimento: a meditação, a música, a ritualística ecumênica. A utilização destes elementos é para auxiliar os participantes dos trabalhos a se aproximarem de si mesmos, centrarem-se, tentando conectar-se com o que há além da mente, propiciando que o campo sistêmico possa ser melhor acessado. Mas a base da constelação continua intocada. E assim manterei. Posso afirmar, sem medo de errar: conscientemente, eu não queria ser terapeuta. Mas também posso dar outra certeza: existe um sistema maior que conduz a minha, a nossa vida, propiciando exatamente aquilo que necessitamos para, em algum momento, poder permitir que o amor flua pelas coisas que fazemos.

Discussão

14 comentários sobre “Constelação Estrutural

  1. Em breve quero entrar em contato com vocês.

    Publicado por Maria Lindinalva de Sousa | julho 28, 2013, 9:08 pm
  2. bom dia! Vocês teriam algum lugar em Belo Horizonte para me indicar?

    Publicado por fernanda monteiro | fevereiro 9, 2017, 12:07 pm

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: O sentido da vida é… | - março 26, 2013

  2. Pingback: Serviço prestado aos outros | - abril 30, 2013

  3. Pingback: Prosperidade: auto cobrança e dívidas ligadas ao sistema familiar | Constelação Sistêmica - maio 17, 2013

  4. Pingback: As 7 lições espirituais que aprendi empreendendo | Expressão do Ser - junho 6, 2013

  5. Pingback: Perfeição é incluir a imperfeição | Constelação Sistêmica - junho 11, 2013

  6. Pingback: O medo de mudar profissionalmente | Expressão do Ser - junho 11, 2013

  7. Pingback: Dicas espirituais e práticas para estabelecer parcerias comerciais | Expressão do Ser - junho 11, 2013

  8. Pingback: Com quem ficam os filhos depois do divórcio | Constelação Sistêmica - junho 14, 2013

  9. Pingback: Projeto que nasce vivo, projeto que nasce morto | Expressão do Ser - dezembro 6, 2013

  10. Pingback: Projeto que nasce vivo, projeto que nasce morto | Constelação Sistêmica - dezembro 6, 2013

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Se você não é usuário do Wordpress e deseja receber as atualizações deste blog, preencha o quadro abaixo com o seu email, e logo receberá uma confirmação para receber as nossas atualizações! Namastê!

Junte-se a 3.753 outros seguidores

Eventos Agendados

Nenhum evento

%d blogueiros gostam disto: